Atresia vaginal: causas, sinais, diagnóstico, código CID

How to effectively deal with bots on your site?

Contente

  • 1 O que é atresia vaginal
  • 2 Causas de atresia vaginal
  • 3 Sintomas de atresia vaginal
  • 4 Diagnóstico
  • 5 Tratamento da atresia vaginal
  • 6 Possíveis complicações e consequências
  • 7 Medidas preventivas e previsões
  • 8 Conclusão

A atresia vaginal é um fenômeno patológico, que é uma infecção de seu lúmen com tecido conjuntivo. Existem várias formas e tipos desse diagnóstico, em particular, ele pode ser primário, congênito e secundário, que foi adquirido como resultado de alguns fatores negativos. De acordo com sua distribuição, a atresia pode ser completa ou parcial, mais frequentemente no terço inferior da vagina. É um obstáculo mecânico para o início da gravidez e do parto, além de dificultar ou bloquear completamente a saída do sangue menstrual.

O que é atresia vaginal

A atresia vaginal é um diagnóstico ginecológico comum com o código CID N89.5. Com esta doença, há um crescimento excessivo das paredes canal cervical com tecido fibroso, enquanto todos os órgãos do sistema reprodutivo - colo do útero e cavidade uterina, ovários - continuam corretamente função.

instagram viewer

Dependendo da forma, a ginecologia clínica distingue os seguintes tipos de atresia:

  1. Completo - toda a cavidade vaginal está coberta de vegetação.
  2. Parcial - fusão das paredes na seção superior, média ou inferior (terço inferior).
Atresia vaginal: terço inferior, sintomas, tratamento

Se houver buracos nas partições formadas na vagina, eles falam de atresia fistulosa

Importante! A atresia como doença não é considerada muito comum; em 10.000 pacientes, é diagnosticada em 2-3.

Causas de atresia vaginal

As causas da doença dependem de sua forma, bem como da localização da patologia. Por exemplo, atresia primária ou congênita resulta de malformação dos ductos de Müller que não se fundem com o seio uroteginal. Isso é facilitado por vários fatores adversos na forma de doenças sexualmente transmissíveis que afetam durante o desenvolvimento fetal:

  • tricomoníase;
  • micoplasmose;
  • herpes genital;
  • HPV;
  • ureaplasmose.

O segundo tipo de atresia é secundário ou adquirido, é promovido pelos seguintes fenômenos:

  • processos inflamatórios nos órgãos pélvicos - colpite, vaginite;
  • trauma de parto da vagina;
  • intervenções cirúrgicas malsucedidas;
  • procedimentos médicos complicados;
  • ducha com uma solução desinfetante concentrada.

O desenvolvimento de atresia é muitas vezes facilitado por infecções transmitidas pelo paciente em idade precoce. Estes incluem escarlatina, difteria, parotidite.

Sintomas de atresia vaginal

A atresia do terço inferior da vagina tem um quadro sintomático semelhante a qualquer outra localização da patologia. Os sinais de adesão também dependem exclusivamente do tipo de doença. Na atresia primária, os seguintes sintomas são observados:

  1. Durante o período da menarca, as meninas não têm sangramento menstrual externo, mas há dores regulares no abdome inferior.
  2. Dependendo da localização da fusão das paredes, ocorre o acúmulo de sangue menstrual, levando ao estiramento da vagina, das trompas de falópio e do útero. Assim, isso leva ao aparecimento de hematocolps, hematossalpinge e hematômetro. Neste último caso, além da dor, é possível a perda de consciência.
  3. O distúrbio congênito pode ser diagnosticado em bebês e geralmente está associado à ansiedade da criança devido à dificuldade em urinar.

A atresia secundária, que geralmente ocorre no contexto de infecções anteriores ou manipulações médicas malsucedidas, é acompanhada pelos seguintes sintomas:

  • falta de fluxo de sangue menstrual;
  • puxão e dor dolorida na parte inferior do abdome;
  • dor durante a relação sexual é observada com atresia parcial, por exemplo, do terço inferior da vagina.

Como um sintoma perigoso de atresia secundária, pode atuar o desenvolvimento de doenças como peritonite, pelvioperitonite, ruptura da cavidade uterina.

Atresia vaginal: terço inferior, sintomas, tratamento

Se a atresia do terço inferior da vagina ocorreu durante a gravidez, isso coloca o curso fisiológico do parto

Com a forma fistulosa da doença, é possível anexar infecções levando à formação de pus. Este último, por sua vez, despeja na cavidade abdominal, causando uma ameaça à vida do paciente.

Diagnóstico

Os seguintes métodos de pesquisa são escolhidos como medidas de diagnóstico para determinar a fusão das paredes da vagina, bem como o tipo e o tipo de atresia:

  1. Exame ginecológico primário na cadeira, durante o qual o médico pode determinar a presença de hematocolpos, que se projeta da abertura genital na forma de uma formação abobadada. A realização de um exame reto-abdominal permite detectar a condição do útero e das trompas de falópio, que podem estar localizadas no alto, aumentadas e dolorosas. Com a ajuda da sondagem, o médico determina a localização da fusão, a profundidade da vagina, que é uma informação valiosa para o planejamento de novas cirurgias plásticas.
  2. Tirar um esfregaço da cavidade vaginal para testes laboratoriais. Essa análise garantirá que a antibioticoterapia seja necessária quando as infecções estiverem associadas.
  3. Ultra-som dos órgãos pélvicos, que permitirá determinar visualmente a presença de um hematômetro, piômetro, piossalpinge e descobrir seu tamanho. Se eles forem muito pequenos, faz sentido fazer uma ressonância magnética dos órgãos pélvicos.

A ginecologia moderna usa a vaginografia e a laparoscopia diagnóstica como métodos de pesquisa adicionais. Na presença de piúria ou retenção aguda, é necessário fazer um exame por um urologista. Isto é especialmente verdadeiro com sinais de uma forma fistulosa.

Tratamento da atresia vaginal

O tratamento da atresia do terço inferior da vagina é entendido apenas como uma intervenção cirúrgica. Geralmente é uma vaginoplastia, que envolve:

  • eliminação da fusão da cavidade vaginal com tecido fibroso;
  • restauração da patência do trato genital.

Um momento obrigatório durante a operação é a abertura do septo vaginal formado, bem como o esvaziamento do hematocolpo ou hematômetro formado pelo canal cervical. Após a liberação, é necessária a higienização obrigatória da cavidade com antissépticos, bem como a excisão completa das divisórias.

Como resultado da cirurgia, uma ferida é formada, cujas bordas são suturadas com categute, o que possibilita não apenas a permeabilidade, mas também restaurar a forma da vagina.

Atresia vaginal: terço inferior, sintomas, tratamento

Na última etapa, um cotonete embebido em óleo de vaselina estéril é inserido no canal cervical.

Se o acúmulo de sangue já passou para as trompas de falópio, é necessário realizar uma operação para remover a hematossalpinge através da cavidade abdominal. Um pré-requisito para a reabilitação após a cirurgia é a antibioticoterapia. Após o período de recuperação, a mulher é submetida a exames regulares por um ginecologista e uma vida sexual ativa.

Importante! Se houver ameaça de re-atresia do terço inferior da vagina, a bougienage é realizada periodicamente.

Possíveis complicações e consequências

Dentre as complicações que causam atresia vaginal, as mais comuns são:

  • infecções ascendentes, especialmente na presença de fístula;
  • sepse;
  • peritonite;
  • refusão das paredes da vagina, sua adesão.

Se uma complicação infecciosa estiver presente, isso é repleto de liberação de sangue infectado na região peritoneal, o que leva ao desenvolvimento de peritonite. Consequências perigosas ameaçam a fusão das paredes vaginais na presença de obstrução das trompas de falópio. Isso pode levar à ruptura do útero, cujo conteúdo também será liberado na cavidade abdominal.

A atresia inflada ameaça com feridas acidentais no útero, bexiga ou reto.

Um aviso! Como possível complicação, pode-se considerar a adesão das paredes da vagina, cicatrização excessiva, que muitas vezes causa atresia recorrente.

Medidas preventivas e previsões

Para reduzir o risco de atresia primária em mulheres durante o período de gestação, é importante que o curso da gravidez ocorra sob a supervisão constante de um ginecologista. Isso impedirá e excluirá o desenvolvimento de quaisquer patologias intrauterinas. Isto é especialmente verdadeiro para possíveis problemas com o fundo hormonal, em alguns casos é necessário um curso de medicamentos apropriados.

Para excluir infecções sexuais, que muitas vezes causam o desenvolvimento de atresia secundária, é importante fazer periodicamente testes para a presença de doenças sexualmente transmissíveis. Isto é especialmente verdadeiro durante a gravidez, quando uma mulher é propensa a doenças sexualmente transmissíveis.

Como medidas para a prevenção da atresia adquirida, são necessárias:

  • exame regular por um ginecologista;
  • ultra-som programado, teste;
  • tratamento oportuno de doenças dos órgãos pélvicos;
  • precisão durante um exame médico dos órgãos genitais;
  • manejo não traumático do parto fisiológico;
  • prevenir intervenções mecânicas nos genitais, não se envolver na autoadministração de medicamentos.
  • recusa de ducha sem a ausência de necessidade urgente.

Na presença de patologias ginecológicas em meninas em idade precoce, também é importante visitar um médico regularmente, o que ajudará a prevenir a adesão e a fusão das paredes da vagina.

Conclusão

A atresia vaginal, independentemente da localização no terço superior, médio ou inferior, é a formação de partições de tecido fibroso. A patologia requer intervenção cirúrgica obrigatória, bem como medidas competentes para prevenir recaídas. A atresia secundária e primária é causada por vários motivos, porém, se não tratada adequadamente, pode causar consequências negativas e perigosas.

As informações e materiais neste site são fornecidos apenas para fins informativos. Você não deve confiar nas informações como um substituto para aconselhamento, assistência ou tratamento médico profissional real.

  • Mar 28, 2022
  • 27
  • 0